terça-feira, 4 de outubro de 2016

Invidia

Publique nas redes sociais uma foto sua num restaurante famoso ou numa viagem esplêndida, ao lado de quem te ama. Comente que está ganhando um ótimo salário, que está amando e que é amado e que tudo está maravilhoso com você.
A maioria das pessoas que segue seu perfil vai preferir fingir que não viu, embora certamente quase todos verão. Há alguns que vão comentar com amigos comuns, fazendo insinuações pejorativas e perguntinhas maldosas. Estes são os que padecem de uma síndrome quase patológica conhecida como inveja e que, na verdade, buscam aliados para combater você de forma velada. "Porque ele e não eu?" é o pano de fundo desses invejosos.
Muito poucos vão se alegrar com o seu sucesso e raros serão aqueles vão curtir e admitir publicamente a sua satisfação, mostrando que se orgulham de ser seu amigo, sem medo de ficarem mal perante os invejosos.

Publique que está com um câncer severo, que perdeu o emprego, que fracassou na vida ou que seu filho está muito doente e praticamente todos vão se manifestar prontamente. Não porque são seus amigos, mas porque o fracasso e a doença provocam uma espécie de sentimento de solidariedade, que é derivado das fraquezas e do medo, tipo "aconteceu com ele, então pode acontecer comigo!"
Haverá, ainda, aqueles que vão se aproveitar do seu fracasso para ostentar uma falsa amizade e, assim, "ficarem bem na fita" perante os outros. Mas nada disso é sentimento de amizade.
(Do pensamento de Leandro Karnal, historiador, professor, curador de arte, escritor, filósofo.)