quinta-feira, 29 de junho de 2017

Como evitar tristeza, depressão, ansiedade e estresse.

A tristeza e a Depressão são efeitos da ausência de um conjunto de sensações positivas, especialmente das sensações de bem estar, de alegria, de felicidade, de saciedade,  de auto-estima, assim como da capacidade de autocontrole, de decisão e de auto-regulação, o que pode se agravar seriamente com a presença da ansiedade e do estresse do dia a dia.

Essas sensações positivas, por sua vez, resultam da presença, em níveis satisfatórios, do neurotransmissor Dopamina, associado à Serotonina e à Endorfina, agindo no nosso cérebro. 

É interessante observar também que o baixo nível de Dopamina é o principal responsável pela sensações de fome e de ansiedade.

Contudo, não é difícil elevar os níveis desses neurotransmissores e, assim, reduzir ou eliminar a tristeza e a Depressão e reduzir a ansiedade e o estresse. São apenas sete fatores, listados a seguir:

1) Atividades Físicas de todos os tipos, com regularidade, especialmente aeróbicas, que aumentam a produção desses três neurotransmissores, além de combater a ansiedade e o estresse.

2) Suplementação de Vitamina D3: O baixo nível de luz solar que recebermos diariamente não é suficiente para produzir a quantidade necessária dessa Vitamina, que é essencial na sintetização de praticamente todos os neurotransmissores.

3) Suplementação de Ginkgo Biloba, que tem alto potencial para aumentar os níveis de Dopamina.

4) Consumo do aminoácido Tirosina, que além de elevar o nível de Dopamina, também aumenta a Norepinefrina. São fontes de Tirosina as Carnes, peixes, aves, leite, laticínios, Queijos, Amêndoas e castanhas, Bananas, Abacates, além da suplementação.

5) Suplementação do aminoácido Acetil-l-Tirosina, um bloco de construção de dopamina, que propicia o aumento da produção natural da Dopamina no cérebro.

6) Suplementação do aminoácido L-Teanina, que é essencial na produção de vários neurotransmissores importantes no cérebro, incluindo a Dopamina. O chá verde pode ser uma fonte complementar de L-Teanina.

7) Consumo de Curcumina, o ingrediente ativo da cúrcuma, presente no Açafrão da Terra que, além de uma extensa gama de benefícios, aumenta a produção  dopamina no cérebro.

* Marcio Almeida é Engenheiro Mecânico e Engenheiro Industrial, Administrador de Empresas, MBA em Gestão Governamental e Ciência Política, Especialista em Direito Administrativo Disciplinar, pesquisador autodidata em Nutrologia e Nutrição Esportiva, História e Sociologia, Meio-Maratonista, ex Diretor de Auditoria Legislativa e ex Presidente de Processos Disciplinares na Administração Federal Brasileira, M∴M.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Quem é Lula?

O Worldpress o qualificou como "O pilantra que enganou o mundo" e Wall Street Journal como "Uma fraude que enganou o mundo", nos envergonhando perante a comunidade internacional civilizada. Mas a construção dessa farsa vem de longa data.

Eu conheço essa figura muito bem desde o início dos anos 80, quando eu era Engenheiro na indústria metalúrgica em Contagem. Não só eu, mas todos conheciam esse falastrão, exceto os ingênuos metalúrgicos de chão de fabrica que eram usados por ele como massa de manobra, enquanto ele chantageava os empresários em São Paulo, promovendo e encerrando greves de acordo com as suas conveniências pessoais, reveladas agora que era tudo condicionado a propinas.

Esse folgado nunca trabalhou na vida, já tendo, inclusive, confessado que cortou o dedo pra forçar uma aposentadoria precoce. E, com sua esperteza perversa e sua lábia ferina, perverteu a lógica da relação de emprego, ensinando que o trabalhador deve hostilizar e combater o seu empregador, ao invés de somar forças e crescer com ele. Ensinando-o a chantagear e expor publicamente quem lhe paga o salário, ao invés de enfrentar o mercado e procurar um emprego melhor.

Depois, quando esse senhor assumiu o governo do meu país, em 2003, eu era Servidor Público Federal de carreira e ocupava cargo de assessor especial de Ministérios, especificamente, na ocasião, no Ministério do Trabalho. Foi aí que eu descobri a verdadeira dimensão da falta de caráter desse elemento, pois a essa altura, ele já tinha se aliado a grande parte do empresariado corrupto, usurpador e oportunista e já estava comprometido com milhares de asseclas sem caráter, que foram "enfiados" em cargos no governo, em sua grande maioria, vagabundos, ignorantes e avessos ao trabalho.

Nos primeiros escalões do governo, ele lotou os cargos, priorizando seus companheiros, muitos dos quais incompetentes e de péssima índole, que perseguiam e isolavam qualquer servidor que contrariasse seus propósitos delituosos. E, no cumprimento do meu dever de ofício, me coube processar administrativamente um desses seus protegidos. Depois disso, passei a ser denegado para ocupar novas funções, tendo vários pedidos indeferidos. Sofri retaliações e perseguições de toda ordem, incluindo a retomada injustificada do apartamento funcional onde, por direito legítimo, eu morava com meus filhos havia 9 anos, além da imposição de uma espécie de "castigo" compulsório, que me deixou ocioso em casa, sem ter onde trabalhar por mais de um ano e meio. Em consequência de toda essa arbitrariedade, eu tive a minha carreira praticamente inviabilizada por mais de dez anos.

Por estas e por mais um sem número de razões, eu acredito que esse cara é o maior falsário da história da humanidade, o maior cretino e o pior verme político de que se tem notícia.

Eu vivenciei a sua história.

* Marcio Almeida é Engenheiro Mecânico e Engenheiro Industrial, Administrador de Empresas, MBA em Gestão Governamental e Ciência Política, Especialista em Direito Administrativo Disciplinar, pesquisador autodidata em Nutrologia e Nutrição Esportiva, História e Sociologia, Meio-Maratonista, ex Diretor de Auditoria Legislativa e ex Presidente de Processos Disciplinares na Administração Federal Brasileira, M∴M.

terça-feira, 6 de junho de 2017

Quem é Lula?

O Worldpress o qualificou como "O pilantra que enganou o mundo" e Wall Street Journal como "Uma fraude que enganou o mundo", nos envergonhando perante a comunidade internacional civilizada. Mas a construção dessa farsa vem de longa data.

Eu conheço essa figura muito bem desde o início dos anos 80, quando eu era Engenheiro na indústria metalúrgica em Contagem. Não só eu, mas todos conheciam esse falastrão, exceto os ingênuos metalúrgicos de chão de fabrica que eram usados por ele como massa de manobra, enquanto ele chantageava os empresários em São Paulo, promovendo e encerrando greves de acordo com as suas conveniências pessoais, reveladas agora ter sido tudo condicionado a propinas.

Esse folgado nunca trabalhou na vida, já tendo, inclusive, confessado que cortou o dedo pra forçar uma aposentadoria precoce. E, com sua esperteza perversa e sua lábia ferina, perverteu a lógica da relação de emprego, ensinando que o trabalhador deve hostilizar e combater o seu empregador, ao invés de somar forças e crescer com ele. Ensinou a chantagear e expor publicamente quem lhe paga o salário, ao invés de enfrentar o mercado e procurar um emprego melhor.

Depois, quando essa praga assumiu o governo do meu país, eu era assessor especial de Ministérios, funcionário de carreira concursado da Administração Federal.
Foi aí que eu descobri a verdadeira dimensão da falta de caráter desse elemento, pois a essa altura, ele já tinha corrompido grande parte do empresariado usurpador e oportunista e já estava comprometido com milhares de asseclas sem caráter, que foram "enfiados" em cargos no governo, em sua grande maioria, vagabundos, ignorantes e avessos ao trabalho.

E nos cargos de primeiro escalão, lotou o governo de criminosos que perseguiam e isolavam quem contrariasse seus propósitos delituosos. E, no cumprimento do meu dever de ofício, eu processei administrativamente um desses criminosos e, por isso, fui perseguido e praticamente tive a minha carreira inviabilizada por mais de dez anos.

Por estas e por mais um sem número de razões, eu acredito que esse cara é o maior falsário da história da humanidade, o maior cretino e o pior verme político de que se tem notícia. Eu vivenciei a sua história.

* Marcio Almeida é Engenheiro Mecânico e Engenheiro Industrial, Administrador de Empresas, MBA em Gestão Governamental e Ciência Política, Especialista em Direito Administrativo Disciplinar, pesquisador autodidata em Nutrologia e Nutrição Esportiva, História e Sociologia, Meio-Maratonista, ex Diretor de Auditoria Legislativa e ex Presidente de Processos Disciplinares na Administração Federal Brasileira, M∴M.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Jejum Prolongado

De cada 10 matérias que eu busco no Google Acadêmico sobre jejum prolongado, pelo menos 8 me mostram que não faz bem.
Vou resumir aqui os três principais argumentos que me convencem disso.
1)     O organismo demanda nutrientes continuamente, vinte e quatro horas por dia. A máquina não para. Mesmo durante o sono há uma forte demanda para o funcionamento dos sistemas nervoso, cardiovascular, respiratório, etc... Interromper o fornecimento de nutrientes é como cortar o fornecimento de combustível. Isso provoca uma quebra no sincronismo entre os sistemas vitais, incompatível com o biorritmo contínuo do nosso corpo.
2)     Sentir fome e não comer é o mesmo que sentir sede e não beber água, sentir sono e não dormir ou sentir vontade de ir no banheiro e se privar. Isso é conhecido como privação das necessidades elementares, uma prática condenada severamente desde os tempos ancestrais, pois bloqueia o funcionamento natural e espontânea de funções fundamentais do corpo. Não atender a essas vontades é desrespeitar sinais importantes do organismo e impedir atividades metabólicas básicas.
3)     O nosso corpo é um conjunto de centenas de sistemas inteligentes que, por sua vez, são formados por bilhões de células. Cada uma dessas células é um subsistema com "inteligência" e metabolismo próprio. E tudo isso funciona de forma integrada, em perfeita sintonia, à custa da nutrientes e energia fornecidos pela alimentação. Se ficamos sem comer por 15, 18 ou 20 horas seguidas, cada uma das células sentirá o racionamento no fornecimento de nutrientes. Em razão disso, algumas células irão acionar um dispositivo biológico de auto preservação, armazenando energia para se prevenir de carências futuras. Essas células são denominadas tecido adiposo e essa energia é armazenada na forma de gordura corporal. É por isso que mesmo fazendo regimes com severas restrições de alimentação, algumas pessoas continuam engordando e se sentindo desnutridas e com fome permanente.
Portanto, comer menos em cada refeição faz todo sentido. Mas deixar de comer não me parece ser racional, tampouco faz sentido lógico. Sendo assim, o melhor é obedecer os sinais do seu próprio corpo e não o relógio. Afinal, quando inventaram o relógio, nosso corpo já vinha sendo preparado pela natureza há milhões de anos. A natureza é sábia. Então, vamos agir sem contrariá-la. Coma quando sentir fome, selecionando o tipo de nutriente mais importante, sem excesso de carboidrato, obviamente.
* Marcio Almeida é Engenheiro Mecânico e Engenheiro Industrial, Administrador de Empresas, MBA em Gestão Governamental e Ciência Política, Especialista em Direito Administrativo Disciplinar, pesquisador autodidata em Nutrologia e Nutrição Esportiva, História e Sociologia, Meio-Maratonista, ex Diretor de Auditoria Legislativa e ex Presidente de Processos Disciplinares na Administração Federal Brasileira, M∴M.


sábado, 20 de maio de 2017

O Mecanismo de Exploração e de Manipulação do Estado Brasileiro

Por José Padilha, O Globo
1.    Na base do sistema político brasileiro opera um mecanismo de exploração da sociedade por quadrilhas formadas por fornecedores do estado e grandes partidos políticos.
2.    O mecanismo opera em todas as esferas do setor público: no legislativo, no executivo, no governo federal, nos estados e nos municípios.
3.    No executivo ele opera via o superfaturamento de obras e de serviços prestados ao estado e as empresas estatais.
4.    No legislativo ele opera via a formulação de legislações que dão vantagens indevidas a grupos empresariais dispostos a pagar por elas.
5.    O mecanismo existe a revelia da ideologia.
6.    O mecanismo viabilizou a eleição de todos os governos brasileiros desde a retomada das eleições diretas, sejam eles de esquerda ou de direita.
7.    Foi o mecanismo quem elegeu o PMDB, o DEM, o PSDB e o PT e quem elegeu todos os Presidentes da República desde o fim do regime militar.
8.    No sistema político brasileiro a ideologia está limitada pelo mecanismo: ela pode balizar políticas públicas, mas somente quando estas políticas não interferem com o funcionamento do mecanismo.
9.    O mecanismo opera uma seleção: políticos que não aderem a ele tem poucos recursos para fazer campanhas eleitorais e raramente são eleitos.
10.  A seleção operada pelo mecanismo é ética e moral: políticos que tem valores incompatíveis com a corrupção tendem a serem eliminados do sistema político brasileiro pelo mecanismo.
11.  O mecanismo impõe uma barreira para a entrada de pessoas inteligentes e honestas na política nacional, posto que as pessoas inteligentes entendem como ele funciona e as pessoas honestas não o aceitam.
12.  A maioria dos políticos brasileiros tem baixos padrões morais e éticos. (Não se sabe se isto decorre do mecanismo, ou se o mecanismo decorre disto. Sabe-se, todavia, que na vigência do mecanismo este sempre será o caso.)
13.  A administração pública brasileira se constitui a partir de acordos relativos a repartição dos recursos desviados pelo mecanismo.
14.  Um político que chega ao poder pode fazer mudanças administrativas no país, mas somente quando estas mudanças não colocam em cheque o funcionamento do mecanismo.
15.  Um político honesto que porventura chegue ao poder e tente fazer mudanças administrativas e legais que vão contra o mecanismo terá contra ele a maioria dos membros da sua classe.
16.  A eficiência e a transparência estão em contradição com o mecanismo.
17.  Resulta daí que na vigência do mecanismo o estado brasileiro jamais poderá ser eficiente no controle dos gastos públicos.
18.  As políticas econômicas e as práticas administrativas que levam ao crescimento econômico sustentável são, portanto, incompatíveis com o mecanismo, que tende a gerar um estado cronicamente deficitário.
19.  Embora o mecanismo não possa conviver com um estado eficiente, ele também não pode deixar o estado falir. Se o estado falir o mecanismo morre.
(Definição pura e simples de parasita - o povo é parasitado por políticos, empreteiros e amigos do rei que farão de tudo para continuar sugando o que for possível do Estado que tira seus recursos dos impostos)
20.  A combinação destes dois fatores faz com que a economia brasileira tenha períodos de crescimento baixos, seguidos de crise fiscal, seguidos ajustes que visam conter os gastos públicos, seguidos de novos períodos de crescimento baixo, seguidos de nova crise fiscal.
21.  Como as leis são feitas por congressistas corruptos, e os magistrados das cortes superiores são indicados por políticos eleitos pelo mecanismo, é natural que tanto a lei quanto os magistrados das instâncias superiores tendam a ser lenientes com a corrupção. (Pense no foro privilegiado. Pense no fato de que apesar de mais de 500 parlamentares terem sido investigados pelo STF desde 1998, a primeira condenação só tenha ocorrido em 2010.)
22.  A operação Lava-Jato só foi possível por causa de uma conjunção improvável de fatores: um governo extremamente incompetente e fragilizado diante da derrocada econômica que causou, uma bobeada do parlamento que não percebeu que a legislação que operacionalizou a delação premiada era incompatível com o mecanismo, e o fato de que uma investigação potencialmente explosiva caiu nas mãos de uma equipe de investigadores, procuradores e de juízes rígida, competente e com bastante sorte.
23.  Não é certo que a Lava-Jato vai promover o desmonte do mecanismo. As forças políticas e jurídicas contrárias são significativas.
24.  O Brasil atual está sendo administrado por um grupo de políticos especializados em operar o mecanismo, e que quer mantê-lo funcionando.
25.  O desmonte definitivo do mecanismo é mais importante para o Brasil do que a estabilidade econômica de curto prazo.
26.  Sem forte mobilização popular é improvável que a Lava-Jato promova o desmonte do mecanismo.
27.  Se o desmonte do mecanismo não decorrer da Lava-Jato, os políticos vão alterar a lei, e o Brasil terá que conviver com o mecanismo por um longo tempo.

terça-feira, 25 de abril de 2017

Suar não queima gordura.

Você já deve ter ouvido as frases "suor é a gordura chorando”, "derreti o bacon”, “sequei muita banha hoje”.

Porém, não leve isso ao pé da letra, pois quando você termina um treino encharcado de suor, significa apenas que eliminou água e minerais do seu corpo, mas nenhuma gordura derreteu ou foi queimada.

Todavia, por acreditar nesses ditados, não é raro se ver pessoas usando métodos malucos para suarem mais na atividade física – como correr de blusa em dias quentes, desligar os ventiladores e fechar as janelas ao usar a esteira e até enrolar plásticos no corpo.

Pois saiba que essas artimanhas não vão te ajudar a perder nenhuma grama de gordura e, ainda, te expõem a sérios riscos, conforme veremos a seguir.

Algo entre 98,5 e 99% do suor é constituído de água, que cumpre a função de manter a temperatura do corpo em torno de 36,5ªC. Ao umedecer a epiderme, essa água retira o calor excedente da pele e o dissipa na atmosfera através da evaporação.

Isso torna-se ainda mais necessário durante o treino porque o aumento do metabolismo, como batimentos cardíacos e respiração acelerados e a fricção dos músculos em ação, gera energia calórica, conhecida como efeito termogênico, ou seja, o aquecimento por efeito mecânico.

Se esse calor não for dissipado, pode provocar vários danos ao organismo, como a desestruturacão das moléculas de proteínas e enzimas do corpo (desnaturação) e o consequente aumento da temperatura corporal (hipertermia), que torna-se grave se evoluir para uma intermação, podendo causar complicações irreversíveis ao sistema nervoso e até resultar em morte. Em condições normais, nada disso acontece, mas se você se empacota de roupas quentes e plástico, estará aumentando muito o risco de vir a acontecer.

Os outros 1% ou 1,5% do suor é constituído de minerais. Dentre estes, há alguns nocivos que são eliminados oportunamente, como o Ácido Úrico e Amônia.
Já há outros que, dissolvidos na água do suor, conferem-lhe propriedades que aumentam o seu fluxo, desobstruindo poros e facilitando a sua evaporação.

Todavia, alguns desses minerais, como o Magnésio, Zinco e Potássio, são essenciais, inclusive para manter o bom funcionamento dos sistemas respiratório e cardiovascular, altamente demandados durante a atividade física. Por isso, o suor excessivo e induzido pode causar colapso desses sistemas, podendo levar atletas à morte súbita, como já se verificou em diversos casos ocorridos no passado recente em Maratonas e partidas de futebol. Isto se torna um risco bastante grave se o atleta tomou sauna antes do treino.

O suor exagerado, conhecido como hiperidrose, também pode causar a desidratação do corpo que, além de aumentar as chances de uma hipertermia, ainda aumenta a viscosidade do sangue, reduzindo o seu fluxo, o que compromete todo o metabolismo, desde performance cardiológica até a nutrição celular e cerebral, podendo causar delírios e até desmaios.

Ainda assim, com todo o suor que te deixou tão envaidecido, você não "queimou" uma única grama de gordura sequer. Apenas colocou sua vida em risco.

A despeito dos riscos do excesso provocado artificialmente, o suor durante o treino é necessário e te mantém saudável. Então, sue bastante naturalmente! E se for fazer um treino prolongado, tipo uma meia maratona, tome antes uma suplementação daqueles minerais referidos acima (Magnésio, Zinco e Potássio) e assim que acabar o treino, tome muito líquido, isotônicos e água de coco pra se reidratar e restaurar os níveis dos minerais perdidos.

Se você fez a atividade em jejum (com pouca disponibilidade de carboidratos na sua corrente sanguínea), pode ser que você já registre alguma perda de gordura imediatamente após o treino. Isso acontece porque, na falta de "combustível" (carboidratos) disponível na corrente sanguínea durante o esforço, seu organismo vai lançar mão das reservas, que são justamente as suas gorduras corporais.

Porém, se você foi para o treino bem alimentado, provavelmente você não vai registrar nenhuma redução de gorduras nesse primeiro momento.

De toda sorte, você terá iniciado um processo que te trará perda de gorduras nas próximas horas e, se você repetir o treino, um ou dois dias depois e continuar, em muito pouco tempo vai perder gorduras de forma saudável e definitiva.

Importante salientar também que nenhuma substância ingerida tem o poder de “queimar” gorduras corporais. Esse tipo de apelo, geralmente usado na venda de chás, regimes pré fabricados e até de suplementos termogênicos e medicamentos é um mito sem nenhuma fundamentação, uma vez que as reservas de tecido adiposo do corpo (gorduras corporais), só podem ser consumidas pelo próprio metabolismo, na forma de energia usada pelo corpo.
* Marcio Almeida é Engenheiro Mecânico e Engenheiro Industrial, Administrador de Empresas, MBA em Gestão Governamental e Ciência Política, Especialista em Direito Administrativo Disciplinar, pesquisador autodidata em Nutrologia e Nutrição Esportiva, História e Sociologia, Meio-Maratonista, ex Diretor de Auditoria Legislativa e ex Presidente de Processos Disciplinares na Administração Federal Brasileira, M∴M.
Fontes:
1)     Dr. Fellipe Savioli, ortopedista, especialista em medicina esportiva, fellow (membro) da Steadman-Hawkins Clinic, no Colorado (EUA), e triatleta


terça-feira, 11 de abril de 2017

As campanhas contra o leite

A primeira vez que se tentou desestimular o consumo de leite e desqualificar os seus valores nutricionais, aconteceu no século XVIII, na Inglaterra.
Naquela ocasião disseminava-se ideias de que o leite envenenava as pessoas, alegando que os produtores misturavam água suja e que o leite aprodrecia nas garrafas provocando doenças. Diziam, ainda, que se fosse ingerido com outros alimentos ou se tomado à noite causaria uma severa indigestão, apelidada de "Corujão", que podia levar à morte, etc, etc...

Porém, mais tarde constatou-se que isso tudo não passava de uma campanha patrocinada pelos produtores de chá, cujo propósito era induzir as pessoas a consumirem menos leite e, assim, tomarem mais chá, aumentando os seus lucros.

Várias outras campanhas como esta aconteceram ao longo história, como nos anos 70/80, que foi patrocinada pelos produtores de laranja da Califórnia, aterrorizando a população com a suposta existência de agentes tóxicos no leite, inclusive a toxina botulínica, que poderia causar mortes horríveis.

Como resultado, centenas de grandes empresas da citricultura se tornaram bilionárias e, de quebra, um dos seus principais garotos propaganda, o nosso ex piloto de F-1, Emerson Fittipaldi, se transformou num dos maiores produtores de suco de laranja do Brasil.

A última e mais pesada de todas as campanhas tem dois propósitos. O primeiro, é garantir as gorduras lácteas a preço mais baixo para serem usadas pela Indústria em produtos mais lucrativos, como cosméticos, tecidos, químicos industriais e até na indústria bélica.

O segundo, é assegurar a obtenção da valiosíssima Lactose mais barata e em quantidades abundantes. E, daí, a pergunta: Para onde vai tanta lactose?
A verdade é que a Lactose extraída do leite torna-se muito mais lucrativa nas indústrias química, médica, farmacêutica e alimentícia, conforme veremos.
Sem a Lactose e sem seus subprodutos e enzimas derivadas não haveria, por exemplo, a imensa variedade de deliciosos biscoitos, pães, bolos, sorvetes, bombons, balas, enlatados em geral, conservas doces e salgadas e embutidos; alimentos estes que são fabricados e distribuídos aos milhões de toneladas ao redor do mundo.
Da mesma forma, sem lactose, não se produziriam as milhares espécies de cosméticos, pomadas, cremes detergentes, sabonete, shampoos, tampouco centenas de medicamentos, instrumentos médicos, linhas de sutura e próteses médicas para diversas finalidades.
Sem falar da demanda destinada à fabricação de plásticos biodegradáveis, que vem crescendo exponencialmente de dez anos para cá, cuja produção só é possível à base de subprodutos da lactose.
Portanto, ao contrário do que possa parecer, a humanidade não foi assolada por nenhuma epidemia global de "intolerância à Lactose" nos últimos dez anos. A história é outra, nada honesta.
Essa campanha, bem mais contundente, chegou ao absurdo de contaminar a literatura da Medicina e da Nutrologia, fazendo com que profissionais dessas áreas se formem doutrinados para desestimular o consumo do leite, que é o mais nobre e mais completo dos alimentos.

Dois típicos exemplos de "garotos propaganda" dessa campanha nefasta são os Drs. Lair Ribeiro e José Roberto Catter que, a despeito de combaterem muitos outros mitos da Nutrologia, desmistificando teorias desvirtuadas, aderiram a essa onda de combate ao leite, sabe-se lá por que razão, condenando-o e defendendo teorias de interesse dessa Indústria subversiva!

Ambos, estranhamente e coincidentemente, fazem uso dos mesmos argumentos fajutos. Vejam a seguir:

1) Segundo estes médicos,  "nós somos a única especie no mundo que toma leite de outro animal!"
Todavia, isso não é verdade. Há centenas ou milhares de outras espécies que, da mesma forma, exploram a produção de nutrientes de outras espécies, numa dinâmica biológica natural chamada Simbiose. Além disso, o ser humano toma leite de animais domésticos há pelo menos 27.000 anos e justamente por isso, por causa dessa suplementação de proteína, o homem atingiu o desenvolvimento cerebral atual.

2) Eles dizem ainda que "não podemos beber leite porque as vacas e nenhum outro animal bebe leite depois de adulto!"
E qual o sentido dessa comparação? Quem segue o exemplo das vacas ou de outros bichos pra saber o que vai comer? Só porque vaca adulta não bebe leite eu também tenho que deixar de beber? Isso é mera tolice.

3) Continuam eles, alegando que "não podemos beber leite porque é o alimento dos bezerros"!
Daí, eu pergunto: quem já viu um bezerro passar fome porque as pessoas beberem o leite dele? Pelo contrário, qualquer bezerro que se aventurar a mamar todo o leite da mãe, corre sérios riscos de vir a falecer por diarreia.
O mais curioso é que eles não dizem nada sobre o consumo dos laticínios derivados, como queijos, manteiga, Iogurte e cremes, cuja fabricação consome a maior parte de todo o leite produzido no mundo. Por que o consumo destes laticínio não estaria tirando o alimento dos bezerros?

4) Argumentam, ainda, os Doutores Lair e José Catter que "leite é tóxico e não pode ser consumido por adultos!"
Também aqui, estranhamente não faz menção aos laticínios derivados que, paradoxalmente, contém concentração muito maior dos mesmos componentes do leite in natura. Porque este faz mal à saúde e os laticínios não?

Ora, é um enorme contrasenso dizer que é tóxico aquele que é o único alimento recomendado para o bebê recém nascido - o MAIS FRÁGIL e mais vulnerável de todos os seres!!! O único alimento capaz de nutri-lo de forma segura e saudável, proteger e propiciar o seu desenvolvimento e o crescimento plenos, sem necessidade de nenhuma suplementação adicional.

A razão disso é simples: leite é o único alimento que contém simultaneamente os 16 nutrientes mais importantes para o ser humano, além de todos os 10 (dez) aminoácidos essenciais. Como se não bastasse, contém Lactose, o mais saudável e mais digerível dentre todos os carboidratos, de altíssimo valor nutricional e baixa ação glicêmica, razão pela qual, praticamente não engorda.
Além de todo esse poder nutricional, é o único alimento que estimula o desenvolvimento de microrganismos benéficos e bacilos da flora nativa, regulando as funções fisiológicas do intestino e protegendo-o de uma vasta gama de doenças causadas pela ação de bactérias nocivas.

Há que se esclarecer que a tese segundo a qual o leite faz mal a adultos provém de um equívoco na compreensão do processo digestivo, conforme veremos.
A Lactose é digerida por uma enzima chamada Lactase, produzida no intestino humano. Na medida em que a pessoa vai se tornando adulta e passando a tomar menos leite, as glândulas do intestino vão reduzindo a produção de Lactase. É um processo natural. Ou seja, quando essa enzima vai se tornando desnecessária, o organismo vai deixando de produzi-la, chegando a desaparecer em muitos casos. Contudo, isso não é deficiência, muito menos INTOLERÂNCIA! Trata-se de uma adaptação natural e sábia do metabolismo, que não acarreta nenhum mal estar ou dano à saúde. Pelo contrário, o organismo passa a digerir menor quantidade de Lactose que, por ser um carboidrato, vai se tornando menos necessário com a idade e, com isso,  evitando o aumento glicêmico e o acúmulo de gordura corporal.
Portanto, interpretar a redução das capacidade de digerir a Lactose como se fosse uma intolerância, não não faz nenhum sentido!
Cabe ressaltar que a INTOLERÂNCIA alimentar é uma característica genética inata. Ou seja, a pessoa não a desenvolve ao longo da vida - nasce com ela e não se cura. Assim sendo, a criança que amamentou ao nascer e sobreviveu com saúde, é improvável que seja portadora dessa síndrome, uma vez que o leite materno contém quase o dobro do teor de lactose do leite de vaca.

O que ocorre com relativa frequência, são rações alérgicas, em especial a alguma das muitas proteínas do leite, que pode se desenvolver e ser curada ao longo da vida.


* Marcio Almeida é Engenheiro Mecânico e Engenheiro Industrial, Administrador de Empresas, MBA em Gestão Governamental e Ciência Política, Especialista em Direito Administrativo Disciplinar, pesquisador autodidata em Nutrologia e Nutrição Esportiva, História e Sociologia, Meio-Maratonista, ex Diretor de Auditoria Legislativa e ex Presidente de Processos Disciplinares na Administração Federal Brasileira, M∴M.

Fontes:
http://marciocc2.blogspot.com/2015/10/lactosefarsa.html?m=1