terça-feira, 25 de abril de 2017

Suar não queima gordura.

Você já deve ter ouvido as frases "suor é a gordura chorando”, "derreti o bacon”, “sequei muita banha hoje”.

Porém, não leve isso ao pé da letra, pois quando você termina um treino encharcado de suor, significa apenas que eliminou água e minerais do seu corpo, mas nenhuma gordura derreteu ou foi queimada.

Todavia, por acreditar nesses ditados, não é raro se ver pessoas usando métodos malucos para suarem mais na atividade física – como correr de blusa em dias quentes, desligar os ventiladores e fechar as janelas ao usar a esteira e até enrolar plásticos no corpo.

Pois saiba que essas artimanhas não vão te ajudar a perder nenhuma grama de gordura e, ainda, te expõem a sérios riscos, conforme veremos a seguir.

Algo entre 98,5 e 99% do suor é constituído de água, que cumpre a função de manter a temperatura do corpo em torno de 36,5ªC. Ao umedecer a epiderme, essa água retira o calor excedente da pele e o dissipa na atmosfera através da evaporação.

Isso torna-se ainda mais necessário durante o treino porque o aumento do metabolismo, como batimentos cardíacos e respiração acelerados e a fricção dos músculos em ação, gera energia calórica, conhecida como efeito termogênico, ou seja, o aquecimento por efeito mecânico.

Se esse calor não for dissipado, pode provocar vários danos ao organismo, como a desestruturacão das moléculas de proteínas e enzimas do corpo (desnaturação) e o consequente aumento da temperatura corporal (hipertermia), que torna-se grave se evoluir para uma intermação, podendo causar complicações irreversíveis ao sistema nervoso e até resultar em morte. Em condições normais, nada disso acontece, mas se você se empacota de roupas quentes e plástico, estará aumentando muito o risco de vir a acontecer.

Os outros 1% ou 1,5% do suor é constituído de minerais. Dentre estes, há alguns nocivos que são eliminados oportunamente, como o Ácido Úrico e Amônia.
Já há outros que, dissolvidos na água do suor, conferem-lhe propriedades que aumentam o seu fluxo, desobstruindo poros e facilitando a sua evaporação.

Todavia, alguns desses minerais, como o Magnésio, Zinco e Potássio, são essenciais, inclusive para manter o bom funcionamento dos sistemas respiratório e cardiovascular, altamente demandados durante a atividade física. Por isso, o suor excessivo e induzido pode causar colapso desses sistemas, podendo levar atletas à morte súbita, como já se verificou em diversos casos ocorridos no passado recente em Maratonas e partidas de futebol. Isto se torna um risco bastante grave se o atleta tomou sauna antes do treino.

O suor exagerado, conhecido como hiperidrose, também pode causar a desidratação do corpo que, além de aumentar as chances de uma hipertermia, ainda aumenta a viscosidade do sangue, reduzindo o seu fluxo, o que compromete todo o metabolismo, desde performance cardiológica até a nutrição celular e cerebral, podendo causar delírios e até desmaios.

Ainda assim, com todo o suor que te deixou tão envaidecido, você não "queimou" uma única grama de gordura sequer. Apenas colocou sua vida em risco.

A despeito dos riscos do excesso provocado artificialmente, o suor durante o treino é necessário e te mantém saudável. Então, sue bastante naturalmente! E se for fazer um treino prolongado, tipo uma meia maratona, tome antes uma suplementação daqueles minerais referidos acima (Magnésio, Zinco e Potássio) e assim que acabar o treino, tome muito líquido, isotônicos e água de coco pra se reidratar e restaurar os níveis dos minerais perdidos.

Se você fez a atividade em jejum (com pouca disponibilidade de carboidratos na sua corrente sanguínea), pode ser que você já registre alguma perda de gordura imediatamente após o treino. Isso acontece porque, na falta de "combustível" (carboidratos) disponível na corrente sanguínea durante o esforço, seu organismo vai lançar mão das reservas, que são justamente as suas gorduras corporais.

Porém, se você foi para o treino bem alimentado, provavelmente você não vai registrar nenhuma redução de gorduras nesse primeiro momento.

De toda sorte, você terá iniciado um processo que te trará perda de gorduras nas próximas horas e, se você repetir o treino, um ou dois dias depois e continuar, em muito pouco tempo vai perder gorduras de forma saudável e definitiva.

Importante salientar também que nenhuma substância ingerida tem o poder de “queimar” gorduras corporais. Esse tipo de apelo, geralmente usado na venda de chás, regimes pré fabricados e até de suplementos termogênicos e medicamentos é um mito sem nenhuma fundamentação, uma vez que as reservas de tecido adiposo do corpo (gorduras corporais), só podem ser consumidas pelo próprio metabolismo, na forma de energia usada pelo corpo.
* Marcio Almeida é Engenheiro Mecânico e Engenheiro Industrial, Administrador de Empresas, MBA em Gestão Governamental e Ciência Política, Especialista em Direito Administrativo Disciplinar, pesquisador autodidata em Nutrologia e Nutrição Esportiva, História e Sociologia, Meio-Maratonista, ex Diretor de Auditoria Legislativa e ex Presidente de Processos Disciplinares na Administração Federal Brasileira, M∴M.
Fontes:
1)     Dr. Fellipe Savioli, ortopedista, especialista em medicina esportiva, fellow (membro) da Steadman-Hawkins Clinic, no Colorado (EUA), e triatleta


Nenhum comentário: