quarta-feira, 26 de setembro de 2012

A criação do Homem, segundo a Teoria dos Antigos Astronautas.

Cada vez mais cientistas vêm aderindo à teoria segundo a qual o nosso Planeta vem sendo visitado por inteligências alienígenas superiores há milhares de anos. Essa ideia tem origem nas teorias apresentadas pelo cientista, astrobiólogo e astrônomo Carl Sagan, assim como nas teses do escritor e pesquisador suíço, Erich Von Daniken, autor do best seller "Eram os Deuses Astronautas" e vários outros cientistas de renome, como Neil DeGrasse Tyson.


Estes autores, conhecidos como teóricos dos antigos astronautas, sustentam estudos, e pesquisas que revelam evidências de que seres extraterrestres não só têm nos visitado, mas também influenciaram decisivamente na evolução do nosso planeta e da própria espécie humana.

Contudo, a maior polêmica de todas essas controvérsias, diz respeito a às teorias sobre a criação do homem. A maior e mais 
ancestral de todas as nossas dúvidas, que é saber "de onde nós viemos", agora tem respostas que deixam sociólogos, antropólogos, arqueólogos e sobretudo, teólogos, de cabelo em pé.

Sustentados por pesquisas arqueológicas, fatos históricos ancestrais e estudos antropológicos, esses especialistas entendem que a Teoria da Evolução das Espécies, de Charles Darwin, poderia ser aplicada a qualquer ser vivo do planeta, menos para os seres humanos. E, se analisarmos os argumentos, veremos que faz muito sentido! Vejam só:

Segundo a Teoria de Darwin, cada espécie no Planeta evoluiu ao longo de milhões de anos, segundo um processo denominado seleção natural, no qual os seres menos adaptados sucumbiriam, enquanto aqueles que conseguiram melhor se adaptar ao habitat continuaram evoluindo e se aperfeiçoando cada vez mais ao longo de milhares de gerações sucessivas.

Assim, todos os seres vivos teriam desenvolvido a partir espécies simples, começando por organismos unicelulares que, por meio da seleção natural evoluíram, se tornando espécies mais complexas e mais complexas e, de acordo com cada habitat, teriam se constituído em peixes, depois anfíbios, répteis, aves e, por fim, em mamíferos.

Assim sendo, os seres humanos seria resultado da evolução de uma espécie de mamífero denominada primata - a mesma espécie da qual descenderam também os macacos e, como resultado da evolução da espécie, uma linhagem de primatas teria se desenvolvido mais, se transformando nos hominídeos que, por sua vez, evoluíram fisicamente e intelectualmente até se constituírem no Homo Sapiens, que teria migrado da África para o Continente europeu entre 50.000 e 30.000 anos atrás.

Teoricamente parece tudo bem mas, daí, vêm os questionamentos e criticas apresentados por estes cientistas.

1) Se de fato foi assim, então porque os tubarões, jacarés e tartarugas, além de alguns vermes, que estão por aqui há mais de 250 milhões de anos, não se tornaram as espécies mais evoluídas e inteligentes da terra?
Ora, em comparação aos 100 mil anos de existência da espécie humana, os tubarões, por exemplo, teriam tido tempo suficiente para evoluir até atingir um estágio de equivalente à humanidade atual, fazerem suas viagens de avião, construírem bombas atômicas, se extinguirem e, em seguida, recomeçarem tudo de novo como tubarões, perfazendo esse ciclo pelo menos 35 vezes! Entretanto, eles permanecem como tubarões até hoje! Então, por que a evolução não aconteceu para essas espécias, enquanto para o homem foi tão rápida e eficiente?

2) Como explicar a explosão desenvolvimentista e cognitiva que fez com que o homem saísse da idade da pedra lascada e atingisse o atual estágio evolutivo, fazendo viagens espaciais, usando celular e energia atômica em apenas seis ou sete mil anos, um período de equivale a um piscar de olhos, se comparado à existência de outras espécies do Planeta? 


3) Pela lógica da Teoria de Darwin, as espécies mais adaptadas tenderiam a se proliferar mais. No entanto, embora tenha existido mais de vinte espécies de Hominídeos, porquê apenas uma dessas espécies, o Homo Sapiens, sobreviveu? Além disso, havia duas espécies de humanos modernos na Europa há cerca de 30 mil anos atrás, o Homo Sapiens e o  Homem de Neanderthal, ambos caçadores e predadores adaptados, providos de alguma inteligência, capacidade cognitiva e linguagem. No entanto, mesmo com todos os atributos para se adaptar por meio do processo de seleção natural, O Neanderthal foi extinto. Por quê?

4) Por que, dentre milhares ou milhões de espécies que foram contemporâneas do homem no processo evolutivo, nenhuma outra desenvolveu sequer vestígios de capacidade intelectual lógica e cognitiva e tampouco a fala? Por que nenhuma outra espécie do planeta possui qualquer vestígio do gene responsável pela fala, conhecido como Foxp2? Isso prova que a habilidade humana de falar jamais poderia ser um resultado da evolução natural, tal como considera os fundamentos da Teoria de Darwin.

5) Todas as espécies de Hominídeos tinham o corpo totalmente coberto de pelos, embora vivessem na África, um dos continentes mais quentes da Terra. Então, por que o Homo Sapiens perdeu os pelos do corpo, justamente durante o período em que estaria se adaptando na Europa, um dos continentes mais frios do Planeta?
De acordo com a lógica da Teoria de Darwin, essa adaptação na Europa teria produzido efeito contrário, ou seja, mais pelos!...

6) Como explicar o tão falado elo perdido que, em tese, deveria estabelecer um vínculo entre as diversas espécies de Hominídeos e o Homo Sapiens moderno? Entre estas duas espécies há um lapso de pelo menos 50 mil anos e uma distância de mais de 15.000 km, dos quais pelo menos 5.000 km são de deserto praticamente intransponível! Então, o que aconteceu ao longo desse período, que não restou sequer vestígios? E como teria a espécie de hominídeo original ter ido parar na Europa, sem ter deixado remanescentes na África?

Daí vem a resposta destes teóricos: O Homo Sapiens teria sido produzido por meio de manipulação genética, há cerca de 30.000 anos, na Europa, por inteligências superiores extraterrestres e, por volta de 6.000 anos atrás, teria sido dotado com um nível de capacidade intelectual equiparado ao homem moderno, dando início à era de desenvolvimento científico, social e político atual. Contudo, algumas dessas espécies alienígenas ainda continuariam a monitorar a espécie humana, como sempre têm feito.

Veja o documentário Interferências Alienígenas Sobre a Raça Humana
...
Fontes:
1) Livro O Macaco Nu, de Desmond Morris
2) Série History Channel: Alienígenas do Passado - A Criação do Homem.


* Marcio Almeida é Engenheiro Mecânico e Engenheiro Industrial, Administrador de Empresas, MBA em Gestão Governamental e Ciência Política, Especialista em Direito Administrativo Disciplinar, pesquisador autodidata em Nutrologia e Nutrição Esportiva, História e Sociologia, Meio-Maratonista, ex Diretor de Auditoria Legislativa e ex Presidente de Processos Disciplinares na Administração Federal Brasileira, MM

4 comentários:

Márcio Almeida disse...

Postei essa matéria numa lista de discussões e um amigo questionou:
- Não seria essa "Inteligência Extraterrestre" um cara chamado DEUS?
- Eu acho que não!
Na minha opinião, DEUS é um poder criador muito acima de tudo isso! Sobretudo porque teria criado não só esses ET's, mas todo o Universo, que obviamente, vai muito além do próprio mundo dos ET's.
Por essa razão, creio que esses alienígenas, por mais evoluídos que fossem, não conheceriam tudo! Muito menos compreenderiam esse poder criador!
Acho que trazer Deus ao nível do que nos é tangível ou "manipulável", como quer muitas seitas e religiões, é amesquinhá-lo.
Márcio Almeida.

Lika Diana Timoteo disse...

simplesmente magnifico!

lucas disse...

Respostas para essa teoria furada:
1) Você matou a teoria da evolução. A espécie mais evoluída não é a mais inteligente (essa crença é resquício do antropocentrismo), mas sim a mais adaptada. Se os tubarões ou jacarés não evoluíram tanto nos últimos milhões de anos é porque eles não "precisaram". Estão adaptados às condições em que estão inseridos. Se você pensa que os humanos são os animais mais bem evoluídos só porque sabem fazer bombas atômicas, estude melhor.

2) Se nem todas sobreviveram é porque as outras não se adaptaram.

3) Primeiro a fala provém de diversas características morfogenéticas. Não só de apenas um gene. De qualquer forma, é uma mutação. Uma mutação ocorre em apenas um indivíduo (e, se for favorável, se estabelece na população) e não em todas as espécies existentes no planeta ao mesmo tempo.

4) Algum indivíduo nasceu com uma mutação que impedia o crescimento de muitos pelos. Naquela época os hominídeos já tinham controle sobre o fogo e sabiam fazer vestimentas, então esse indivíduo sem pelo não foi prejudicado e sobreviveu. A mutação foi passada para seus descendentes e então se estabeleceu na população, e, em seguida, na espécie.

5) Equilibrio pontuado e cladogênese.

Beto disse...

O mesmo canal de televisão defende a existência de primatas que evoluíram em direção ao mar e explicam a existência de tantas lendas sobre as Sereias.