domingo, 5 de abril de 2015

Brasileiro, coxinha com orgulho.

Me orgulho de ser brasileiro, paneleiro, coxinha, elite branca ou qualquer outra zombaria que queiram me impor!
Sabe porquê?
1) Porque eu já enchi os olhos de lágrimas ouvindo o hino do meu país e muitas vezes me emocionei diante da minha belíssima bandeira nacional.
2) Porque, ainda que eu possa ter avançado algum sinal vermelho, não alimento a pirataria, não sonego impostos, não furo fila e não bulo naquilo que não me pertence!
3) Porque não votei e não votaria no Collor, no Maluf, no Newton Cardoso, na Roseana, no Palocci e muito menos no Lula ou na Dilma, simplesmente porque essa gente nunca me convenceu de que tivesse interesse pelo bem estar do povo brasileiro!
4) Porque o Estado e as políticas públicas não proporcionaram renda suficiente para que meu pai pudesse pagar colégios, tampouco dar vida fácil, nem pra mim, nem para os meus outros 17 irmãos, apesar de ter trabalhado muito a vida toda sem nenhum benefício social.
5) Porque eu larguei a enxada e a tiração de leite aos 8 anos de idade para enfrentar um mundo hostil que me discriminava pela minha condição econômica e social, sobretudo por ser da roça, e encarei muitas dificuldades e humilhações, pois acreditava que o justo e bom combate era possível e que o mérito e a batalha honesta seriam recompensados.
6) Porque eu deixei a segurança do meu lar aos 14 anos em busca de oportunidades que não me foram oferecidas! Enfrentei ônibus lotado por anos a fio para estudar e trabalhar, saindo do pensionato de madrugada e voltando altas horas da noite, morrendo de sono.
7) Porque eu fiz três cursos superiores e quatro pós graduações, passei em três concursos de emprego dos mais concorridos e hoje ganho bem mais que a média nacional, mas tenho o orgulho de olhar nos olhos e dizer de peito aberto: "Consegui isso como resultado do meu próprio esforço, do meu suor, das minhas lágrimas, da minha dor, do meu trabalho, sem nunca ter recebido subsídios financeiros, apoio social, benefícios ou privilégios de qualquer natureza e muito menos cotas!"
8) Porque a despeito do pouco tempo disponível, eu mantenho uma média de pelo menos cinco livros lidos por ano, pois acredito que o conhecimento traz sabedoria e que ambos só fazem bem ao ser humano e à sociedade.
9) Porque eu acredito que só o trabalho honesto pode proporcionar a geração de bens e riquezas que devem ser apropriados e desfrutadas por quem produziu e que a utopia socialista do “tudo é de todos e nada é de ninguém” é mera falácia absurda.
10) Porque - e por isso - as poucas posses conquistadas pelo meu pai, por mim e pelas demais pessoas do meio em que fui criado, custaram muito suor, lágrimas e dor exclusivamente dessas pessoas. Por isso não seria justo rateá-las com quem não participou dessa conquista.

E, digo ainda, que por estas dez razões eu sou contra o comunismo e o populismo hipócritas, ainda que a minha especialização em políticas públicas e ciências políticas me mostrem dezenas de outras razões de natureza técnica, de que isso não passa de uma armação golpista.

2 comentários:

Marlarocha disse...

Muito bem conterrâneo .Voce fala baseado na ciência e em fatos.Tem saber suficiente para ver o certo e o errado,e escolher o certo.
Fico orgulhosa de aprender com quem realmente pode falar porque sabe o que está dizendo.Muitos fatos apresentados no seu texto foram vividos por mim,menina pobre ,que batalhou sem ajuda de governo,pelo contrário ,muitas vezes prejudicada!
Enfim temos direito de ser coxinhas!
E tenho dito!

Márcio Almeida disse...

Minha ilustre e admirada amiga Marla Rocha,
Fiquei muito lisonjeado pelas suas palavras. Não só por saber que temos semelhanças nas nossas histórias de vida, mas sobretudo por se tratar de palavras de uma comunicadora do seu nível.
Muitíssimo obrigado e um grande abraço.