domingo, 2 de abril de 2017

A Bíblia é Sagrada?

Nas primeiras vezes que eu tentava ler a Bíblia, não entendia um monte de coisas, mas pensava:
-      Tudo bem! Essa é a palavra de Deus. Eu devo ser meio burro e Deus é muito superior! Por isso eu não tô entendendo.

Mas hoje, quando leio, vejo que, na verdade, a Bíblia é como dizia Einstein: "uma coletânea de lendas e contos cheios de boas intenções, mas muito primitivas e infantis". E eu acrescento: cheia de enxertos desconexos e tendenciosos, contradições e inconsistências literárias. Por essa razão, obviamente, só pode ter sido escrita por gente - por sinal, não muito esclarecida - não por Deus.

É justamente por isso que eu não entendia coisas como discriminação, ameaças injustas e aterrorizantes às pessoas que pensavam diferente, como por exemplo em Êxodo, 20-14:
-    Eu castigarei os filhos pelos pecados de seus pais até a terceira e quarta geração daqueles que me desprezam, mas trato com bondade até mil gerações aos que me amam e obedecem.

Não me conformava com ordens para promover vingança, matança indiscriminada, chacina e genocídio e assalto, com requinte de sequestro e escravidão de mulheres e crianças e abuso de menores, como em Números, 31-18:
-      Vingue-se dos midianitas [...]. Então, conforme o SENHOR tinha ordenado, mataram todos os homens [...], capturaram as mulheres e as crianças e tomaram como despojo todos os rebanhos e bens dos midianitas. Queimaram todas as cidades, bem como todos os seus acampamentos e levaram prisioneiros, homens, mulheres e crianças, bem como os despojos a Moisés.

Mas Moisés, insatisfeito, indignou-se:
-      Vocês deixaram todas as mulheres vivas? Agora matem todos os meninos e matem também todas as mulheres que se deitaram com homem, mas poupem para nós todas as meninas virgens.

Achava esquisito Deus tomando decisões inconsequentes e maldosas, tendo que ser contido por Moisés e, depois, arrepender-se da bobagem que disse, como em Êxodo, 32-14:
-   Disse o SENHOR a Moisés: 'Este povo é fanático e teimoso. Deixe-me descarregar minha ira contra eles, e eu os destruirei.

E, com autoridade, Moisés, argumenta:
-      Ó Senhor, por que descarregaria a tua ira contra o teu povo? [...] diriam os egípcios: ‘Foi com intenção maligna que os libertou, para matá-los nos montes e bani-los da face da terra’? Arrepende-te do fogo da tua ira! Lembra-te dos teus servos Abraão, Isaque e Israel, aos quais juraste por ti mesmo [..]. E, assim, o SENHOR arrependeu-se do mal que ameaçara trazer sobre o povo.

E mais e mais inconsistências, como:

Maria Madalena reconheceu Jesus quando ele apareceu a ela?
Versão 1: Ela reconheceu Jesus quando ele apareceu a ela. [Mt 28:9]
Versão 2: Ela não reconheceu Jesus quando ele apareceu a ela. [Jo 20:14]
Versão 3: Jesus não apareceu a ela; ela teve uma visão onde anjos lhe falaram que ele estava vivo. [Lc 24:23]

Quais foram as últimas palavras de Jesus?
Versão 1: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? [Mt 27:46]
Versão 2: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. [Lc 23:46]
Versão 3: Está consumado. [Jo 19:30]

Estudiosos da Bíblia, dentre os quais, teólogos e religiosos de várias tendências, cristãos ou não, apontam milhares de outras situações bastante estranhas no seu texto. Por exemplo:
·        Estima-se que, por ordem de Deus, foram cometidos mais de um milhão de assassinatos, segundo a Bíblia.
·        Que, ao contrário do que pressupõe o fundamento doutrinário de um único Deus, a Bíblia menciona mais de uma dezena de outras divindades, sendo algumas destas alinhadas, outras concorrentes e outras hostis.

Outras curiosidades bizarras

A origem das Páscoa: Naquele certo dia, Deus ordena que cada família mate um carneiro, coma toda a sua carne e use o sangue do animal para lambuzar os portais de entrada da casa. Além do ato de celebração, o sangue nos portais serviria como uma forma de identificar as residências dos israelitas, pois na noite subsequente, Deus passaria pela cidade, de casa em casa, matando todos os primogênitos, crianças e animais, poupando apenas as casas marcadas com sangue na porta (Em Êxodo, 12:30).
D
O Antigo Testamento arranjado: As versões originais da Torá, a Bíblia original Judaica, constava várias situações que foram alteradas posteriormente, dentre as quais:
·  No texto original, Deus tinha uma esposa. Porém, após o reino de Nabucodonosor, marcado por um patriarcalismo severo, a esposa de Deus foi banida das escrituras;
·    Adão teve uma primeira mulher, chamada Lilith, feita de barro, assim como Adão. Mas, por querer se impor sobre as vontades do marido, desobedecê-lo e por tê-lo traído, Deus a expulsou do Paraíso e, em seguida, fez Eva, da costela de Adão;
·  Na versão original do dilúvio, Deus disse a Utnapishtim, um rico fazendeiro sumério, que construísse uma arca e embarcasse nela com toda a sua família. Porém, ao contrário da versão atual, ele deveria levar todos os animais de sua propriedade, apenas como suprimento e subsistência da própria família durante os 40 dias do dilúvio.

Os Evangelhos arbitrados: Antes do concílio de Nicéia, convocado pelo Imperador Romano, Constantino em 325 d.C. o Novo Testamento era composto por 22 Evangelhos, segundo algumas fontes, ou 16, segundo outras fontes. À exceção dos quatro atuais (João, Lucas, Mateus e Marcos), todos os demais foram proibidos, com pena de morte para quem mantivesse cópia. Isso só pode ser porque continham algo muito contraditório. Estes quatro escolhidos ainda teriam sido "adaptados" com vários fatos novos, inclusive com a inclusão da ressurreição, supostamente para fazer com que Jesus se parecesse com Hórus, de quem o Constantino era devoto.

Veja outras milhares de bizarrices da Bíblia neste link:

Fontes:
O épico de Gilgamesh


* Marcio Almeida é Engenheiro Mecânico e Engenheiro Industrial, Administrador de Empresas, MBA em Gestão Governamental e Ciência Política, Especialista em Direito Administrativo Disciplinar, pesquisador autodidata em Nutrologia e Nutrição Esportiva, História e Sociologia, Meio-Maratonista, ex Diretor de Auditoria Legislativa e ex Presidente de Processos Disciplinares na Administração Federal Brasileira, M∴M.





Nenhum comentário: