domingo, 21 de junho de 2015

Alimentação Saudável: A Correção dos Conceitos

Os conceitos convencionais de nutrição estão errados há 50 anos.
Entenda por que.  
  • Em 1967 uma comissão do Senado Norte Americano, presidida pelo Senado George McGovern, baixou uma norma orientando à indústria e à sociedade em geral que reduzisse em 25% o teor de gordura saturada na alimentação da população americana.  
  • O consumo médio de gordura saturada , que era de 40%, deveria ser reduzido a, no máximo, 30%.  
  • A ideia usou como fundamento uma matéria tendenciosa e totalmente equivocada, publicada em 1953 por um certo Dr. Ancel Keys, na qual ele escolheu, a dedo, os dados de seis países que aparentemente indicavam alguma correlação entre peso corporal e consumo de gorduras. No entanto, ele ignorou (ou omitiu) que 40 países demonstravam o contrário (Veja aqui).   
  • Todavia, a proposta de redução do consumo de gordura deveria ser provisória e tinha caráter eminentemente econômico, pois visava suprir a crescente indústria americana, destinando parte dessa gordura como matéria prima para outros produtos, tais como sabões, tintas, cosméticos, fármacos, lubrificantes, industrialização de couro, indústria automobilística, têxtil e até explosivos. 
  • Assim, a adesão da mídia e a boa vontade da população garantiram a redução do consumo de gordura.  
  • Entretanto, sem uma nova política que revertesse a orientação, o hábito de baixo consumo de gordura passou a fazer parte da cultura, alimentou mitos que contaminaram a opinião pública e até mesmo a literatura especializada, até os dias atuais. 
  • Em consequência disso, desenvolveu-se uma poderosa indústria de produtos de baixo teor de gorduras - os pseudo light e diet, ao lado da indústria farmacêutica com milhares de produtos destinados a "curar" os efeitos nocivos dessa prática alimentar distorcida.  



    Os conceitos errados estão sendo revistos? 
    Nos últimos anos, várias entidades e têm divulgado recomendações revendo esses conceitos.

    I - Em 2015 o Fórum Nacional de Obesidade da Inglaterra publicou matéria nesse sentido que resumindo, aponta as seguintes recomendações:  
    • Coma mais gordura para permanecer saudável;  
    • Comer gorduras saturadas não engorda;  
    • Dietas de "baixa gordura" e "baixo colesterol" causaram epidemia de obesidade e Diabetes tipo 2 e aumentaram a incidência de doenças cardiovasculares;  
    • Entre 1961 e 2011, 90% do aumento da ingestão calórica veio de carboidratos (açúcares, cereais, massas, legumes e verduras) e óleos vegetais;  
    • A ciência foi corrompida por influência dos interesses comerciais, contrariando as evidências científicas. 
    II - Em 2016 a ADA - Academy of Nutrition and Dietetics dos EUAalerta 
    • Gordura saturada não aumenta risco de doenças cardiovasculares e não é causa de obesidade (não engorda);  
    • Carboidratos (açúcares, cereais, legumes. verduras) aumentam o risco cardiovascular e causam obesidade e NÃO A GORDURA saturada;  
    • Colesterol ingerido NÃO aumenta o colesterol do sangue e não precisa ser limitado;  
    • Sal reduzido, como vem sendo recomendado, está relacionado a problemas neurológicos e ao aumento de mortalidade.  
    III - O Dr. José Carlos Souto alerta para alguns clichês que a mídia martela nos seus ouvidos há anos, mas que têm viés pervertido e, por isso, tendem a te manter doente, para que a indústria farmacêutica continue lucrando.  
    • Use filtro solar (E o seu organismo se tornará deficiente de Vitamina D3, te deixando suscetível a uma dezena de tipos de câncer - inclusive câncer de pele, além de doenças cardiovasculares, endometriose, infertilidade e fragilidade do sistema imunológico).  
    • Não coma gorduras (E o seu organismo se desgastará e se tornará frágil e suscetível a várias doenças e, ainda, você sentirá fome continuamente e consumirá sempre mais e mais); 
    • Coma muitas verduras e legumes (E você terá o seu índice glicêmico aumentado, terá fome incontrolável e poderá ser acometido por obesidade, hipertensão e problemas cardiovasculares).  
    • Coma de três em três horas (E você consumirá muito, terá maior dificuldade de controlar a obesidade e suas consequências) e, finalmente.  
    • Consulte um médico (E continue consumindo medicamentos industrializados a esmo, se sujeitando a cirurgia desnecessárias e alimentando o lucro da poderosa indústria farmacêutica). 
    Veja a matéria completa aqui: Comer de 3 em 3 horas: má ideia.  

    IV - Sob o título "Dieta pobre em gorduras = mais derrames, mais doença cardíaca e mais obesidade" 
    O Dr. J. Carlos Souto publica mais uma matéria no link abaixo, com várias orientações.  Veja a matéria completa aqui: Dieta pobre em gorduras = Mais Derrames, Mais Doenças Cardíacas e Mais Obesidade 


    Colaboraram:
    1) Doutor Erick Neves: Médico Especialista em Nutrição Esportiva e Nutrologia;

    2) Samara Adriao de Oliveira: Enfermeira, pesquisadora em Nutrologia;
    3) Camila Vinhal;
    4) Alexandre Lameiras.

    Nenhum comentário: