domingo, 21 de junho de 2015

Colesterol: Mitos e Verdades

Colesterol faz mal 
       Resposta: Não faz mal. Entenda por que:  
  • Embora seja uma espécie de lipídio, não se classifica como gordura. 
  • Trata-se, na verdade, de um "esteroide" (lipoproteína) existente exclusivamente em organismos animais - não existe colesterol em nenhum produto de origem vegetal.
  • O Colesterol, nos casos de Infarto, Derrame (AVC) e Trombose, tem ação preventiva e curativa, e não causa. 
  • É um poderoso anti-inflamatório que age no sistema cardiovascular evitando que inflamações nas artérias provoquem a calcificação das paredes internas dos vasos e, assim, prevenindo o entupimento que causaria essas doenças. 
  • Essas inflamações são consequência da falta de micronutrientes, em especial de Vitamina D3 e Vitamina C.
  • A falta desses micronutrientes ao longo dos anos faz com que a ação reparadora contínua do Colesterol deixe resíduos que se calcificam e se acumulam, causando o entupimento do vaso.
  • Portanto, ao contrário do que se propaga, os depósitos de Colesterol verificados nas paredes das artérias de pacientes com tais doenças é o resultado de um mecanismo de reparação biológica que tenta recuperar o dano causado pela inflamação.
  • Cerca de 90% do Colesterol existente no sangue é produzido pelo nosso próprio fígado, usando como matéria prima os carboidratos (açúcares, massas, legumes e verduras). 
  • Os outros 10% são produzidos principalmente pelas glândulas, com pouca influência das gorduras que se come. 
  • Portanto, ingerir gordura e Colesterol não traz prejuízos à saúde. 
  • Pelo contrário, quando se ingere muita gordura e Colesterol, os sensores da mucosa intestinal avisam ao cérebro que o organismo dispõe de bastante colesterol circulando. Então, o cérebro ordena ao fígado que reduza a produção. Ou seja, ingerir colesterol resulta na redução do nível de colesterol do sangue.   

    Qual a importância do Colesterol 
    • É o material do qual são constituídas as membranas de todos os trilhões de células do nosso corpo, bem como os neurônios, as ramificações nervosas e a massa encefálica (cérebro); 
    • É matéria prima essencial na sintetização de praticamente todas as enzimas e neurotransmissores, inclusive da Vitamina D3, que é o mais importante hormônio antioxidante na proteção do organismo contra inflamação das artérias, contra diversos tipos de câncer e contra o envelhecimento precoce das células 
    • Colesterol é quem produz a Coenzima Q10, um hormônio fundamental para a proteção e preservação do sistema cardiovascular. No entanto, a Estatina (medicação destinada a reduzir os níveis de colesterol), além de baixar o próprio Colesterol, contribui para a inibição da produção dessa enzima. Por isso, usuários prolongados de Estatina têm 20% mais de probabilidade de contrair câncer. 
    • Baixos níveis de colesterol estão associados à demência precoce na terceira idade, bem como a problemas de memória e do sistema nervoso, à depressão e, paradoxalmente, conforme dito acima, à incidência de infartos e derrames (AVC). 
    • Estranhamente, a Estatina  é o medicamento mais vendido em toda a história da medicina no mundo, embora provoque diversos efeitos colaterais nocivos. 
    • Nenhum estudo relaciona altos níveis de Colesterol com doenças cardiovasculares. Isso é um mito decorrente de estatísticas inconclusivas e mal interpretadas.  
    Fontes:Entrevista com Dr. José Roberto Kater   

    Colaboraram:
    1) Doutor Erick Neves: Médico Especialista em Nutrição Esportiva e Nutrologia;

    2) Samara Adriao de Oliveira: Enfermeira, pesquisadora em Nutrologia;
    3) Camila Vinhal;
    4) Alexandre Lameiras.

    Nenhum comentário: